en
en


Ao subscrever à nossa Newsletter, concorda com nossos Termos e Condições.
Apresentações institucionais e criativas? Sim, é possível!

Nota: Este conteúdo foi escrito antes da BrainStory, marca que evoluiu da Slide Lab.

 

Neste Blog Post vamos abordar o tema das apresentações institucionais criativas. De uma forma descomplexada e positiva procuramos mostrar aos nossos leitores, que o potencial de todas as apresentações, neste caso, em especial, as institucionais, é imenso! 

Vivemos, hoje, num tempo de mudança, uma época em que as coisas acontecem da noite para o dia. Somos espetadores diários, de uma era disruptiva, cujo ritmo evolutivo parece não parar.

Se bem nos recordamos, ainda há bem pouco tempo o uso do telemóvel ou do computador, era algo a que poucos tinham acesso. E a internet era um universo desconhecido ao público em geral.  

Nós somos hoje, parte de uma geração sortuda, pois somos participantes ativos de uma revolução global sem precedentes, que veio mudar a nossa vida para sempre.

A era digital faz parte do nosso quotidiano, é algo intrínseco a todos, velhos ou novos. O uso do telemóvel, do computador, da internet e a forma complementar como estas e outras ferramentas se relacionam, surge como algo perfeitamente intuitivo e elementar na nossa forma de viver.

É um facto que o mundo mudou muito nos últimos 20/30 anos, mas ainda existem coisas que permanecem da mesma forma. Falo das apresentações institucionais de muitas empresas por todo mundo.

É possível assistir ainda hoje, a apresentações que nos fazem voltar atrás no tempo. A um tempo que, apesar de ser próximo, já parece tão longínquo, tendo em conta toda a evolução que vemos em outras áreas.

Apesar de já existirem empresas por todo mundo a desenvolver apresentações institucionais criativas e dinâmicas, muitos ainda se mantêm a comunicar como se ainda estivéssemos no ano de 1998 a passear pela expo com um bip na mão.

É preciso mudar o “mindset”, é fundamental acompanharmos as tendências e estarmos atuais, afinal estamos em pleno 2018.

Devemos olhar as apresentações como uma oportunidade única de comunicar com uma audiência.

 

É necessário que as pessoas e empresas vejam as apresentações como momentos chave de comunicação, que irão, com certeza, definir a forma como as suas empresas serão percecionadas.

Então, qual é a fórmula para essa mudança? Como podemos transformar apresentações institucionais em apresentações institucionais criativas, inovadoras e envolventes?

Em primeiro lugar, e como dizia anteriormente, é necessário que as pessoas vejam o momento de comunicar como um momento chave, no qual querem brilhar, entusiasmando e cativando a audiência.

Percebendo esta necessidade, é preciso definir o seguinte:

FASE I

Qual o público-alvo

Qual o objetivo de comunicação

Qual a forma/estilo de comunicação

FASE II

Posto isto, é necessário perceber o conteúdo que se tem em mãos, organizando-o de forma estruturada para que faça sentido, criando assim uma sequência racional.

FASE III

Esta terceira fase é muito importante, pois é neste momento que começam a surgir as ideias criativas e que a apresentação começa a ganhar vida.

Define-se um conceito que faça sentido para o apresentador e para o conteúdo que se quer comunicar e dá-se inicio à construção do Storytelling e de uma identidade visual coesa com o conceito. (mais informações no Blog Post sobre Storytelling).

As ideias e as criatividades podem ser diversas. A história ou o design podem ser relacionados com super-heróis, filmes, acontecimentos históricos ou até com uma história pessoal. As possibilidades são imensas, é apenas necessário que as criatividades sejam coerentes com os três passos que foram indicados anteriormente e que se desenvolvam de uma forma concertada e estruturada.

Em suma, todas as apresentações têm um enorme potencial, mas é necessário que a sua conceção seja entendida de uma outra forma. De uma forma que as transforme em algo envolvente e dinâmico, para que criem nos espetadores curiosidade e interesse em saber mais.

Gostou deste blog post?
Subscreva a newsletter mensal e receba os nossos conteúdos no seu email.
anterior
A importância do design nas apresentações
seguinte
A Simbiose entre História e Orador