en
en


Ao subscrever à nossa Newsletter, concorda com nossos Termos e Condições.
Defina o estilo da sua marca com técnicas de storytelling

Nota: Este conteúdo foi escrito antes da BrainStory, marca que evoluiu da Slide Lab.

 

Queremos ajudá-lo a definir o estilo da sua marca com técnicas de Storytelling.

Definir o estilo (ou o caracter) de uma marca é uma das tarefas mais complicadas quando se cria uma nova marca, ou quando se pensa em fazer um rebranding.

O estilo com que definimos a nossa marca vai ser aquilo que nos vai diferenciar da concorrência e que vai atribuir significado à marca junto do público em geral e junto dos nossos clientes e potenciais clientes.

Neste artigo vamos explicar-lhe como poderá definir o estilo da sua marca usando técnicas de Storytelling.

Carl Jung, nascido na Suíça em 1975, foi, como nos explica a wikipédia “um psiquiatra e psicoterapeuta (…) que fundou a psicologia analítica. Jung propôs e desenvolveu os conceitos de personalidade extrovertida e introvertida, arquétipo e inconsciente coletivo.”

Jung estudou o insconsciente colectivo e compreendeu que a humanidade tem instintos de imaginação semelhantes. Carl Jung compreendeu que, de uma forma geral, as pessoas se identificam com certos arquétipos (como lhes chamou). Os arquétipos, não são mais que personagens-tipo que têm características que qualquer pessoa no mundo entende de forma espontânea.

É esta teoria que permite compreender porque é que histórias como Star Wars ou Harry Potter são tão bem recebidas em todo o mundo. Todas as personagens destas histórias encaixam-se em algum dos arquétipos que Jung descreveu. Por isso, mesmo sem termos total consciência disso, sempre que contamos uma história, encaixamos as suas personagens nestes arquétipos.

Mas o importante aqui é compreender como é que estes arquétipos nos podem ajudar a definir a nossa marca. Ou seja, como é que técnicas de Storytelling nos podem ajudar a definir o estilo e voz único da nossa marca e, desta forma, chegar ao insconsciente coletivo de qualquer potencial cliente.

A ideia é simples, mas requer algum tempo e dedicação.

Siga os seguintes passos para criar o estilo da sua marca com técnicas de Storytelling:

1 – Lista de arquétipos

Conhecer bem todos os arquétipos de Jung (que iremos descrever mais adiante).

2 – Escolha consciente

Escolher o arquétipo que melhor se identifica com as características que queremos que a nossa marca tenha e transmita.

(Faça um dos testes de personalidade de Jung que se encontra na Internet, preenchendo todos os campos com a informação da sua marca. Deixamos-lhe aqui um exemplo)

3 – Definição da personalidade

Definir dois ou três traços de personalidade da nossa marca (tendo por base a descrição do arquétipo, da personagem que a nossa marca está a “encarnar”).

4 – Definição do tom

Descrever o tom de comunicação da marca, pensando nela como uma personagem de uma história.

5 – Escrita da história

Imagine a sua marca sendo a personagem de um pequeno conto e escreva-o. O que faria em determinada situação? Como se comportaria? Que tipo de atitude teria perante um problema? Como se apresentaria a amigos numa festa?…

O Cuidador

Tem o grande desejo de ajudar outras pessoas como faria consigo mesmo.

Associado essencialmente a marcas relacionadas com a educação, saúde e causas sem fins lucrativos.

https://youtu.be/pjQt2lEZIXg

A Pessoa Comum

Acredita que todas as pessoas são iguais, não gosta de ser deixado de lado, mas também não ambiciona destacar-se dos demais

Ideal para marcas de venda de produtos do quotidiano e de preço acessível.

https://youtu.be/8pcdnqLBRmQ

O Criador

Usa a sua imaginação para criar algo que não existia antes, sendo, por isso mesmo, um agente de mudança.

Associado a marcas que ajudam pessoas a ser criativas e a produzirem mais.

https://youtu.be/rwQqkX3qZak

O Explorador

Desenterram novos conceitos ou objetos, ou desafiam outros a encontrar algo novo ou a realizar ações inovadoras.

Associado a marcas que incentivam a pessoas a serem livres ou a expressarem a sua individualidade.

https://youtu.be/-yfOLoCd9lk

O Herói

Os heróis são, de forma geral, fortes, mas conseguem controlar a sua força em benefício dos outros.

Pode ser associado a quase todas as marcas e empresas. Mas é adequado a produtos de preços de moderados a altos, com perfil inovador e com potencial para causar impacto no mundo.

https://youtu.be/Fq2CvmgoO7I

O Inocente

Otimista por natureza, continua feliz mesmo em circunstâncias difíceis.

Relacionado a produtos que oferecem uma resposta simples a um problema fácil de identificar. O inocente liberta a criança que cada um tem dentro de si.

https://youtu.be/gu96q9wGKoo

O Bobo da Corte

O bobo da corte diz a verdade que ninguém quer ouvir, ou se atreve a dizer. Alivia situações tensas.

Associado a marcas que ajudem as pessoas a divertirem-se e a sentirem-se parte de um grupo.

https://youtu.be/qfZcxeqa1g4

O Mágico

Supera o impossível usando métodos que não são acessíveis ao comum dos mortais, através da imaginação, inteligência e a certeza de que nada é impossível.

Recomendado para marcas que catalisam mudanças e influenciam pessoas positivamente.

https://youtu.be/aVxYSeZp8Z4

O Rebelde

Desafia o status quo através da desobediência e da inconformidade para conseguir a liberdade para si ou para alguém em perigo. Este arquétipo gosta de ser visto como mau, e de gerar medo nos outros.

Associado a marcas que não seguem os padrões sociais vigentes e querem criar coisas fora do padrão.

https://youtu.be/F-nTLizA1Fc

O Líder

Definem as regras e são sempre poderosos. Contudo, podem ser bons ou maus.

Recomendado para marcas de luxo que permitem os consumidores sentirem-se poderosos.

https://youtu.be/y-hEszbpMIE

O Sábio

Oferece soluções intelectuais para os problemas, enquanto permanece longe da confusão.

Associado a marcas que informam e que estimulam o pensamento no consumidor.

https://youtu.be/nuTEeCNBfYE

O Sedutor

Obtém prazer através de seus sentidos ou alguém que faz com que as outras personagens descubram as suas próprias capacidades sensuais.

Recomendado para marcas que estimulam a beleza e sensualidade.

https://youtu.be/s3zY4Trz7po

Depois de percorrer estes 5 passos irá compreender que conseguirá agora, de forma mais fácil, criar um livro de estilo para a sua marca, alinhando o tom e o objetivo de todas as suas mensagens de comunicação, para que sejam mais facilmente percebidas e aceite pelos seus consumidores.

O uso de técnicas de Storytelling não se esgota na criação de uma apresentação, e pode ser usado em diversas dimensões da nossa vida pessoal e profissional.

Referências:

https://en.wikipedia.org/wiki/Jungian_archetypes

https://www.psychologistworld.com/tests/jung-archetype-quiz

https://medium.com/@EbooksAndKids/write-great-characters-with-these-12-jungian-archetypes-687844e8cf51

https://pt.wikipedia.org/wiki/Carl_Gustav_Jung

Gostou deste blog post?
Subscreva a newsletter mensal e receba os nossos conteúdos no seu email.
anterior
Em que trabalha uma agência de brand storytelling?
seguinte
A importância do design nas apresentações